quinta-feira, 28 de agosto de 2008

O Susto...

Voltava da faculdade com a Lourdes, sócia do Marcio (meu marido) no maior blá... blá... blá... Tava frio, a conversa rolava solta... De repente o carro começou acelerar sozinha e eu gritei a Lourdes. Lourdes... Lourdes... e a árvore e o porte e bummm!!!!!
Uma dor horrível no peito, medo e pânico e o carro saindo fumaça e eu gritava pra Lourdes sair do carro e doía e tava meio louca, nervosa... E queria chorar, mas doía e não tinha lágrima! E na mesma hora um moto boy avisou meu marido (minha casa tava a 2 esquinas) Um carro com 2 senhores que nem me lembro o nome mais parou e conseguiu avisar meu esposo e nos prestou assistência. E pensava na minha cirurgia... E paranóica pensava... “Putz ta doendo muito e não consigo respirar.. Será que ferrei meu pulmão? Mas se tivesse ferrado, eu estaria desmaiada ou expelindo sangue... calma Aline, ta tudo bem...” E a adrenalina nas alturas.
Meu esposo chegou... Fui para o hospital, raio x, medicamento na veia e apesar do nervosismo e dar dor, eu estava ótima, VIVA!!!
Gente é muito rápido! Sempre brinquei que pra morrer basta ta vivo... e dizia: Cuidado heim...! Você ta vivo!... E é a mais pura verdade. Mentira , você não vê sua vida em um filminho antes. Você só sente medo do inesperado. Medo porque o poste ia crescendo a sua frente e você vai bater. E aí? Você vai morrer? Vai doer? Vai cortar? E seu rosto no vidro? É isto que você pensa nas frações de segundo antes de bater.
A porrada que você dá é impossível de descrever. É muito forte! E só to aqui sentadinha, morrendo de dor, mas feliz da vida por que tava de cinto. E cada vez que falo ai e penso na dor, agradeço a Deus por estar com ela e caio em choro de novo!
To com um problema sério. Não to conseguindo andar de carro. Ontem na volta do hospital, fiquei histérica dentro do carro. O pior que eu chorava de medo e depois de dor porque o choro doía a peito muito e ria como louca. Credo!!!
Gente... é rápido! Então vivammmmmmmmmmm. Como se fosse realmente o último!!! Porque graças ao cinto eu to aqui! Inteirinha e nem hematoma por causa dos remédios da lipo eu tenho. Olha que eu bati o rosto!
Vivam... Façam scrap! Saiam com seus filhos, namorados, maridos, fala pra mãe que é ótimo visitá-la... Visite uma amiga! Liga pra alguém que você não fala a um tempo...
Mas vivam...

6 comentários:

Cristina Tronco disse...

ai aline!!!
que susto mesmo!!!
que bom que nao foi nada mais sério!!!
bjus

Patiscrap disse...

Ai Aline, que baita susto hein menina!!!!! Tá louco!!! Ainda bem que não foi nada de grave!!!! FOi mais o susto mesmo! Fico feliz que vc esteja bem, viu! Se cuida!!!
Bjs!

heloisa disse...

Aline, por um fio... que loucura... por isso é que concordo com voc~e viver intensamente o hoje. Comecei e estou amando esta experiência!!
Mas, deixa eu te falar uma coisinha: não alimenta esse medo da direção, não. Eu sofro muito pq tenho muito medo de dirigir e fujo para não ter que pegar no carro. Mas ele é necessário e nos dá uma independência importante. Antes de entrar, faça as suas orações e acredite... não dê comidinha ao medo porque ele engorda com facilidade e pra perder peso...só com muita terapia...rsrsrs
abs
muito scrap pra você com muita coisa bonita pra montar!!
Heloísa coelho
chaves.heloisa@gmail.com

kathita disse...

Nossa Aline...Que medo hein!!!
Mas que bom que você está bem, graças a Deus!
Você está certa, viva sempre, viva muito e viva bem...nunca sabemos o dia de amanhã!

Fica com Deus e se cuida!
Beijos

Layanne disse...

Nossa Aline... Que susto, heim?
Mas que bom que vc está aí, vivinha e inteira... Se cuida... E, quanto ao trauma, vc vai superar com certeza...

Bjos!!!

Adriana M Q Weingart disse...

Nossa, Aline... Que susto... Passei por algo parecido na sexta passada... Vindo de SP para Sumaré pela Bandeirantes, o carro da frente começa a frear, e de repente, ele está de frente para mim... Fiquei presa no carro: prensada entre o guardirreio no canteiro central, e a porta do passageiro que não abria (a frente do carro deslogou e "travou" a porta) - fora a dor alucinante na mão esquerda... E a pessoa foi embora, como se não tivesse acontecido nada. Foi horrível...
Mas, ainda faltavam 90km para chegar em casa... o carro rodava, vim dirigindo. O medo, no início, é real, mas passa. Mas o mais importante, é Deus nos guardando, e podermos chegar em casa para abraçar aquele que amamos...
Fique tranquila! E se cuide!
Gde bjo!